Assistência Social

EXPLORAÇÃO SEXUAL COMERCIAL DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES NO NORDESTE BRASILEIRO

Vários fatores extrínsecos e intrínsecos contribuem para a exploração sexual comercial de crianças e adolescentes no Nordeste Brasileiro. Tal constatação se dá pelo fato de que a região nordeste sofre com problemas climáticos, desigualdades sociais, socioeconômicos e ausência de políticas públicas eficazes. A exploração sexual se apresenta como solução viável para resolução de problemas e conflitos, que por vezes se origina no seio da família.
A exploração sexual comercial tem como público alvo crianças e adolescentes do predominantemente do sexo feminino, uma vez que as mesmas se encontram mais desprotegidas e cobiçadas pelos cafetões ou responsáveis. Por vezes, essas meninas buscam por essa opção de vida como forma de encontrar independência financeira, fugir da miséria econômica ou mesmo de problemas familiares. Contudo, a exploração sexual não deve ser considerada, sob-hipótese nenhuma, uma condição normal, uma vez que tal exposição é um crime contra a dignidade da criança e do adolescente, bem como acarreta em consequências danosas para a vida do individuo.
A ineficiência das leis que protegem as crianças e adolescente, bem como a falta de fiscalização e os parcos projetos existentes, tornam tal exploração cada vez mais “comum” no nordeste, haja vista que não há formação e preparação de profissionais que possam identificar e combater a exploração, bem como não há investimento nos órgãos que deveriam trabalhar no combate a esse crime. Diante a isso, urge a necessidade do envolvimento de todo segmento da sociedade no intuito de combater e assegurar a integridade física e psicológica das crianças e adolescentes, de forma que possam se desenvolver em um ambiente saudável e respeitado em seus diretos mais básicos.