A importância da esterilização de materiais utilizados por manicure/pedicure

Assim como todos os profissionais da área de saúde que utilizam materiais para processos cirúrgicos ou não cirúrgicos, os profissionais que exercem manicure e pedicure também devem ficam atentos aos utensílios de higiene pessoal, como os alicates de cutícula, espátulas e cortadores de unha, pois o compartilhamento desses utensílios quando não limpo de maneira correta e/ou esterilizado através das autoclaves, tornam-se fatores de risco para a transmissão de vírus VHB, AIDS, fungos e hepatites B e C.

É de grande importância à capacitação destes profissionais para esterilização de maneira correta destes materiais, pois além de prevenir problemas de saúde pública, o profissional garante uma fidelização de seus clientes, bem como, um trabalho de forma higiênica para o exercício das atividades de embelezamento das unhas, aumentando a autoestima feminina.

Transmissão de doenças por materiais utilizados por manicure/pedicure

O compartilhamento de materiais de manicure/pedicure, principalmente alicates de unhas e tesouras, tem sido apontado como uma das formas de transmissão dos vírus como a hepatite B e C (MARIANO, et. al. 2004). Portanto, as manicures/pedicures representam um novo grupo com fatores de risco, já que podem entrar em contato com material contaminado pelo sangue de seus clientes (OLIVEIRA e FOCACCIA, 2009). Considerando a resistência viral no meio externo, principalmente do vírus VHB, pode-se considerar que estes podem ser transmitidos pelo compartilhamento de alicates, utilizados por manicure/pedicures, não esterilizados ou esterilizados incorretamente. Além dos alicates, outros materiais como cortadores de unha, tesourinhas e navalhas, que entram em contato com o vírus VHB e/ou VHC, podem ser potenciais transmissores destes vírus.

Esterilização de matérias

A esterilização de materiais por vapor saturado sob pressão é a que oferece maior segurança e economia. Em autoclaves convencionais, a esterilização pode ser realizada pela exposição do material contaminado por 30 minutos a uma temperatura de 121 °C ou 15 minutos a uma temperatura de 132 °C. Estabelecimentos de podologia, manicure/pedicure, os profissionais deverão realizar, antes dos procedimentos, a higienização e antissepsia das mãos. Também deverá utilizar luvas e material estéril durante a execução de seus procedimentos. As estufas e autoclaves para a esterilização dos materiais de trabalho deverão ser constantemente monitoradas quanto à sua eficiência. O monitoramento do processo de esterilização deve incluir uma combinação de indicadores químicos, biológicos e controles físicos, que avaliam as condições de esterilização e a eficácia do ciclo de esterilização (BRASIL, 1994            ).

Recomendações de Biossegurança

Para os profissionais de manicure/pedicure, as recomendações de biossegurança, é o uso suficiente da quantidade de instrumentos para atendimento aos clientes, não reutilizar materiais descartáveis, fazer a desinfecção e esterilização de instrumentos e equipamentos de forma adequada, o uso correto de soluções químicas desinfetantes, a adequada assistência pós-trauma à pele e mucosas, o conhecimento de doenças transmissíveis pelo compartilhamento de materiais, o correto descarte de materiais cortantes e perfurantes, uso correto de equipamento de proteção individual (EPI) e ótimas condições físicas e sanitárias dos locais onde esses profissionais executam seu trabalho (FRAGA, 2009).

O uso de EPI’s e a adesão à lavagem de mão, apensar de alguns estudos demonstrarem serem avaliadas como baixa, são importantíssimas, definidas como medidas de precaução padrão aos profissionais do setor de beleza e estética. O uso de luvas, máscaras e a prática de lavagem das mãos devem ser levados a sério para que os demais processos de higiene e esterilização sejam eficientes no contexto de vigilância sanitária.

Referências

BRASIL. Ministério da Saúde. Coordenação de Controle de Infecção Hospitalar. Processamento de artigos e superfícies em estabelecimentos de saúde. Ministério da Saúde. Brasília, 1994.

FRAGA, J. D. Projeto de Lei propõe prevenção para Hepatite em salões de beleza. Mato Grosso, 2009.

OLIVEIRA, A. C. S.; FOCACCIA, R. Prevalência das Hepatites B e C em profissionais manicures e pedicures do município de São Paulo. 2008. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) – Universidade de São Paulo, São Paulo, 2009.

MARIANO, A.; MELE, A.; TOSTI, M. E.; PARLOTO, A.; GALLO, G.; RAGNI, P.; ZOTTI, C.; LOPALCO, POMPA, M.G.; GRAZIANI, G. Role of beauty treatment in the spread of parentrally transmitted hepatitis viruses in Italy. Journal of Medical Virology, v. 74, p. 216 – 220, out. 2004.