A Importância da Segurança na Radiologia

A radiação é a transmissão de energia por meio do espaço e da matéria, existe dois tipos de radiação, a ionizante e a não ionizante. Os organismos são compostos por átomos que, em condições de normalidade ou equilíbrio, são eletricamente neutros. A quebra deste equilíbrio é consequência de exposição as radiações ionizantes, como os raios-x, os quais estão ligados a prática em clínica odontológica.   

Os fatores ligados à produção de efeitos biológicos causados por radiações ionizantes são complexos e de abordagem multidisciplinar. Envolvem diferentes graus de sensibilidades dos órgãos e tecidos expostos, radiações não ionizantes, por exemplo, luz visível, infravermelho, radiação de micro-ondas e ondas de rádio não possuem energia suficiente para remover elétrons dos seus orbitais. 

O que preocupa os profissionais que utilizam a radiação ionizante é o seu efeito cumulativo, por isso, o cirurgião-dentista e sua equipe devem se proteger das exposições desnecessárias. 

Vale lembrar que todos os pacientes e profissionais devem sempre utilizar os meios de proteção preconizados pelas autoridades de saúde nacionais e internacionais. 

Alguns cuidados são essenciais para a prática radiológica em odontologia, os aparelhos devem ser corretamente mantidos, o uso do avental plumbífero – considerando sempre a glândula tireoide – é indispensável, as técnicas devem ser executadas corretamente, para assim evitar repetições. 

O profissional atualizado é capaz de minimizar os danos produzidos pela exposição às radiações ionizantes, bem como se precaver contra eventuais danos produzidos pela ansiedade gerada em razão das exposições. O operador deve ter cuidado como:  ficar sempre fora da direção do feixe útil de raios-x, nunca segurar o filme na boca do paciente e nunca permanecer atrás do cabeçote. 

Os danos que os raios-x podem causar ocorrem nas substâncias químicas localizadas dentro de cada célula do corpo humano que não são observadas imediatamente. 

O uso de equipamento de raios-x deve seguir os requisitos harmônicos, como boa prática clínica e os filmes e as soluções de processamento devem ser de boa qualidade. 

Podemos concluir que muito ainda deve ser feito, para que os usuários e profissionais, realmente estejam protegidos dos perigos das radiações ionizantes. É importante que nas clínicas exista uma maior preocupação para com todos os quatro grupos: documentação, proteção radiológica, equipamento e qualidade de imagem. 

Uma mesma linguagem deve ser usada por todas as vigilâncias sanitárias do país, para que os profissionais de fiscalização unifiquem suas condutas, resultando um maior e melhor ato de fiscalizar, cumprindo e fazendo cumprir a legislação.

Maria Madalena da Silva

Campinas - SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *