Afetividade e seus Benefícios no Cotidiano Escolar

O presente trabalho de curso tem por finalidade explanar sobre a importância da afetividade no cotidiano escolar e salientar sua importância no desenvolvimento do aluno em sala de aula, através da afetividade proporcionar de maneira segura que o educando expresse suas emoções, servindo de facilitador para o seu desenvolvimento cognitivo, sabendo interagir com o meio social inserido e sua relação com o educador.

É importante destacar que através da afetividade alcança-se uma relação relevante, talvez mais importante, a da troca de conhecimentos entre o professor e o aluno. Explorada de forma correta proporcionará ao educador uma relação ampla produtiva e harmoniosa, possibilitará que o aluno se sinta importante e motivado para colocar suas opiniões e ideias, desta forma o respeito e admiração será mútuo, eliminando as dificuldades que antes, atrapalhavam o desenvolvimento intelectual e cognitivo do aluno. Vale ressaltar que afetividade é de extrema importância para a relação entre os alunos da mesma escola é construída pelas relações sociais experimentadas por estes alunos.

 “Wallon defendeu em muitos dos seus trabalhos que afetividade tem fator decisivo na formação do caráter e da personalidade do indivíduo, sendo que é mesma é uma das primeiras manifestações que a criança desenvolve, inclusive antes mesmo da inteligência” (Almeida, 1999).

 Nos dias atuais a função do professor não é mais a de meramente transmitir conhecimentos educacionais, é preciso que o mesmo vá além das dificuldades físicas e cognitivas, lembrando que o mesmo conheça a fundo seu aluno, para poder perceber se algo em seu ambiente familiar possa estar interferindo no seu rendimento escolar.

 Para melhor demonstrar o tema abordado deste trabalho, vamos apresentar estudos realizados por autores, que relatam a relevância da afetividade no espaço escolar.

 É de extrema importância ressaltar que o desenvolvimento da criança de maneira geral (cognitivo e psíquico) acontece através das relações com o outro e é o lado afetivo que determinará o quanto sucedido este individuo será na sua formação pessoal e nas condutas comportamentais que a mesma exibirá.

 “Saber mais o significado das experiências vividas no início da escolaridade para o processo de desenvolvimento infantil, bem como para a continuidade da vida escolar, representa a possiblidade de contribuir na construção de propostas que permitam acolher as crianças para melhor atender suas necessidades, facilitando-lhes estabelecer interações mais produtivas com esse novo contexto”. (Nunes, 2000, p.105)

 Durante os anos iniciais da vida de uma criança acontece uma troca contínua de informação para com o meio a que esta inserida e do meio para com a criança. Ela apega-se aos pais, e de modo geral a algum ente querido, seja ele tio, tia, professor, graças ao vinculo afetivo estabelecido e na maior parte dos casos, ela imitará alguns comportamentos iguais aos das pessoas pelas quais se apegou.

Muitas vezes temos que parar e refletir sobre a falta de carinho que as nossas crianças estão sendo submetidas, os adultos pela correria dos dias atuais não tem mais tempo para lidar com os filhos, acha que comparando-lhes cada vez mais supre a necessidade do afeto, esquecendo a importância deste momento para a criança, cada vez mais cedo nossas crianças estão perdendo a infância.

 A sociedade oferece diversos produtos (livros, filmes e brinquedos) isso acaba influenciando a criança a um mundo cheio de diferentes representações incluindo a criança a um conjunto de propostas culturais produzidas pela sociedade adulta.

 A hipótese levantada é que através do contato com afetividade as crianças são capazes de simular a exercitar situações cotidianas, aprendendo a lidar com os desafios conquistas e derrotas, fracassos e sucessos, sendo capazes de experimentar tipos de situações como, amizade, e socialização.

 O convívio com um ambiente estimulante é um fator importante, porque a criança tendo uma ligação maior com o professor vai adquirindo novas experiências e maturidade, possibilitando a criança estar trabalhando diversas percepções como:

– habilidades como a percepção, linguagem, socialização e equilíbrio;

– desenvolvendo a capacidade de esperar a chegar a consensos criando vínculos afetivos, assim, ter maior desempenho escolar.

 É preciso enfatizar que cada criança tem seu ritmo próprio para se desenvolver, e é muito importante respeita-lo, proporcionando a elas alegria, afeto e diversão.

 Afetividade decorre da necessidade de estimular o gosto e o prazer por estar na escola. Percebe-se que a infância esta diminuindo cada dia mais cedo. Muito cedo as crianças perdem o interesse pelos estudos, assim sendo, perde-se o gosto pela leitura em geral, não se sentem motivados, surgem então os questionamentos dos professores e profissionais da educação sobre como melhorar esta convivência entre professor-aluno.

 Esperamos que este trabalho posa ser realizado, no sentido de provocar maiores pensamentos sobre o assunto, instigando novas pesquisas e favorecendo a iniciativa deste tipo de hábito costumeiro da afetividade tão importante para a nossa educação.

Conclusão

 O tema afetividade evidenciando a importância da afetividade no meio escolar e como a mesma é parte constituidora dos processos de ensino e aprendizagem, através destas foi possível compreender que o aluno como um todo é parte integrante e única de uma sala de aula, tendo suas próprias especificidades e singularidades. Cada aluno compreende o mundo de uma maneira exclusiva e singular e traz para a sala de aula diferentes compreensões do seu cotidiano.

 Para Wallon a afetividade, é ponto inicial do desenvolvimento do ser humano, deste modo, fica claro observar que desde o nascimento e nos primeiros anos de vida, o afeto será um mediador na relação construída com outros indivíduos e em seu desenvolvimento intelectual. O ser humano, desde seus primeiros passos é completamente influenciado pelo meio social que está inserido, sua personalidade se baseia no que vê e houve em seu cotidiano, estabelece assim um laço afetivo muito grande pelos seus familiares, seguindo os mesmos costumes, não importando se são corretos ou não, ela os assimila e depois os incorpora no seu estilo de ser.

 Segundo o Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil, de 1998, a criança é um individuo que está numa continua evolução, por isso, precisa ser apoiada, ouvida, auxiliada. É necessário compreender seu jeito de ser, levar em conta suas opiniões, nesse sentindo, precisamos nos interessar pelo o que ela sente, de maneira geral compreender como ela entende o ambiente social e o mundo a que esta inserida.

 Assim sendo, a afetividade torna-se um elemento facilitado da inteligência e das habilidades de maneira geral, o afeto desencadeia na criança uma vontade de buscar novos conhecimentos e encarar novos desafios.

 Através da confiança e do afeto depositado em nós professores, será possível que a criança se sinta confiante e motivada para aprender, pois ela saberá que em qualquer momento de dúvida ou medo, poderá contar conosco.

Referências

Almeida, A. R.S. A Emoção na Sala de Aula. São Paulo: Papirus, 1999.

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃ E DO DESPORTO, SECRETARIA DE EDUCAÇÃO FUNDAMENTAL. Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil. Vol.1. Brasília: MEC/SEF, 1998.

NUNES, N. N.O Ingresso na pré-escola: uma leitura psicogenética. In: Oliveira, Z. R. A Criança e seu Desenvolvimento. Perspectiva para se Discutir a Educação Infantil. 3. Ed. São Paulo: Cortez, 2001

TAILLE, Y.L.WALLON – Teorias Psicogenéticas em Discussão. 13.ed.São Paulo:  Summus editorial, 1992

 

                                                                

 

Renata Tezo Paschoaletti Bertho

Bebedouro - SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *