Apresentação Pessoal e Postura Profissional: o Cartão de Visitas do Garçom.

Vivemos em uma sociedade que cultua a boa aparência, você é o que você apresenta. Portanto é importante estar bem vestido e bem cuidado, sobretudo nos aspectos que diz respeito à higiene pessoal. Na profissão de garçom isso não é diferente, a apresentação pessoal do garçom conta muito para os clientes e consumidores de seus serviços. A maneira como o profissional se apresenta diz muito sobre a qualidade do ambiente em que ele trabalha. Nesse caso, o garçom é o que veste, ele é julgado pela forma que se apresenta.

Para se apresentar bem o garçom deve vestir roupas limpas, necessita de cabelos bem cortados, unhas limpas, barba feita, cuidar da higiene bucal, ser simpático e cortês. Tais características, assim como sua postura profissional, compõem o seu cartão de visita para os consumidores de seus serviços. E um bom cartão de visitas faz com que o cliente procure novamente pelo serviço do garçom bem apresentado. A apresentação pessoal é de grande valia para estabelecer a fidedignidade do cliente. No caso do garçom taifeiro, por ter um bom cartão de visitas, fará com que a tripulação faça o marketing profissional da cozinha da embarcação. Muitos irão falar bem de seus serviços e apresentação pelos corredores, em terra e em alto mar.

A importância da Apresentação Pessoal

De acordo com a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes – ABRASEL (2007), o garçom deve cuidar de sua própria saúde para se apresentar bem. Por trabalhar diretamente com alimentos, o garçom, conforme a ABRASEL, deve apresentar os seguintes cuidados:

Mantenha os cabelos limpos e curtos; ou presos. Não use barba nem bigode. Os dentes devem estar limpos e bem cuidados.  Não use jóias e bijuterias; relógio é permitido. Troque diariamente as meias. Use sapatos fechados e confortáveis. Não use perfume; apenas desodorante sem perfume.  Use uniforme completo, limpo, sem manchas e sem furos. A troca deve ser diária ou mais vezes, se necessária. Mantenha as unhas curtas, sem base ou esmalte. Lave as mãos no início da jornada; ao tocar no corpo; e a cada troca de atividade. (ABRASEL, 2007).

Como se pode ver, o garçom deve se preocupar com sua higiene pessoal. Ninguém quer estar perto de alguém com odores ruins, ainda mais quando a pessoa é um profissional de cozinha como o garçom. No entanto, ele também não pode usar perfumes fortes. Deve usar desodorantes neutros. Tomar banho é um hábito que deve ser praticado cotidianamente por tais profissionais, pois a  água é um desinfetante natural e universal. Quando nos deparamos com um garçom que deixa a apresentação pessoal a desejar, logo pensamos que o que vamos comer ou beber é de baixa qualidade ou está adulterado, quer seja por bactérias, quer seja por poeira ou coisas do tipo.

Para Raquel Auzier Ferreira (2017), o uniforme em bom estado é imprescindível para a boa apresentação do garçom. Segundo a autora, o uniforme deve estar limpo, bem conservado e bem passado á ferro. Em hipótese alguma a farda do garçom deve conter manchas e rasgões. Ainda sobre a apresentação pessoal do garçom, Ferreira (2017) afirma que “os sapatos devem ser confortáveis, pois o garçom passa a maior parte do tempo em pé. Devem ter salto de borracha para não fazer barulho e nem escorregar, e estar sempre limpos e engraxados.”

Quando se trata de um garçom do sexo feminino, no caso, uma garçonete, é preciso ter cuidados redobrados em higiene, pelo fato da mulher possuir cabelos maiores que o dos homens. Elas devem prender o cabelo quando forem trabalhar, com o intuito de evitar que fios de cabelos caiam nas comidas ou bebidas servidas. Ao usarem maquiagem, deve fazer uso do bom senso e fazer uma maquiagem básica, sem que chame muita atenção. Assim como as unhas que devem ser pintadas de cores claras e serem curtas para não acumular micro-organismos nas unhas, como ocorre com as unhas longas. O uso de brincos grandes não é recomendado, da mesma maneira não é recomendado a utilização de adereços como piercing em lugar exposto no corpo.

Postura Profissional – Muda de postura ou vai se perder

Vale a pena ressaltar que a forma como o garçom se apresenta está atrelada ao modo como ele trata o usuário de seus serviços. Não basta estar bem vestido, com cabelos, barba e bigode bem tratados se o garçom não tem traquejo social, ou seja, ele tem que ter bons modos e educação. Logo, a forma como o garçom aborda os clientes faz parte de sua apresentação pessoal. Gentileza gera gentileza. É importante se dirigir as pessoas com presteza e palavras brandas, uma vez que o ser humano gosta de ser bem recebido, ele tem necessidade de aceitação.

O garçom é peça fundamental no local onde ele trabalha. Por fazer o primeiro contato com o cliente, a sua atuação determinará se o cliente vai voltar aquele estabelecimento ou não. O garçom tem que “vender seu peixe” por meio da apresentação pessoal. Quando o garçom é bom no que faz, ele não ganha um cliente, ele ganha um amigo. Pode-se ver isso registrado nas letras de músicas populares, assim cantou a dupla José Rico e Milionário:

“Garçom, olhe no espelho, a dama de vermelho que vai se levantar. Note que até a orquestra fica toda em festa quando ela sai para dançar. Essa dama já me pertenceu e o culpado fui eu, da separação. Hoje choro de ciúme, ciúme até do perfume que ela deixa no salão. Garçom amigo, apague a luz da minha mesa, eu não quero que ela note em mim tanta tristeza. Traga mais uma garrafa. Hoje vou embriagar-me.”

Os bons hábitos e boas atitudes do garçom determinam a sua postura profissional. Segundo ABRASEL (2007), ele deve ser honesto, tranquilo e discreto. É de suma importância que ele não consuma bebida alcoólica no trabalho, que seja pontual, que ande calmamente e sem correria, que não fume no trabalho, não se encoste nas paredes nem nos móveis, não espirre nem procure tossir enquanto estiver servindo, não mastigue chiclete, não seque suor com as mãos e evite passar as mãos pelos cabelos e em outras partes do corpo.

Faz-se necessário lembrar que o garçom não deve e nem pode incomodar os clientes. Diante disso, ele tem por obrigação falar baixo, não gritar, evitar puxar assunto desnecessário, não conversar quando estiver servindo para não cair saliva sobre os pratos. Tais medidas foram adotadas pela ABRASEL.

O ABRASEL (2007) elenca um rol contendo regras básicas de serviço no que diz respeito a postura profissional. As regras redigidas foram as seguintes:

Os serviços de todas as bebidas, de todos os pratos pronto, de “desembaraço” de todos os pratos com exceção do pratinho de pão, de “desembaraço” de todos os copos e talheres, a apresentação dos acessórios (sal, pimenta etc.), a apresentação da nota e Limpeza, são tido como serviços que devem ser realizados a direita do cliente. Já os serviços que devem ser feitos a esquerda do cliente são os serviços  de apresentação de todos os pratos, os serviços de refeições à inglesa direto e à francesa, além do serviço de “desembaraço” dos pratos de pão e limpeza.

Da mesma forma, foi colocado nas regras de serviço que diante de um grupo de pessoas contendo crianças, mulheres e homens, deve-se servir  primeiro as crianças, depois as mulheres começando pela mais idosa e em seguida os homens, do mais velho ao mais jovem. Se a ocasião for um banquete, as regras mudam, o primeiro a ser servido é o homenageado.

O garçom tem que ter uma conduta ilibada. Para ele, deve ser comum não falar mal de colegas de trabalho, tampouco da empresa que trabalha; deve se utilizar da formalidade para falar com os clientes, sem falar com intimidade; é importante também que não use o celular quando estiver trabalhando; e tentar não gesticular quando estiver falando com o cliente. A sua postura física também é importante. Para Ferreira (2017), o garçom deve manter uma postura elegante, com o corpo reto. Suas mãos devem ficar atrás das costas quando estiverem desocupadas.

A ética na profissão como ingrediente da postura profissional

É interessante frisar que deve-se ter ética pessoal e profissional para desempenhar irrepreensivelmente  qualquer atividade laboral, e o Garçom tem que observar e respeitar isso. MARQUES (2016) defende essa linha de pensamento. Ele destaca:

Atitudes como respeito às normas da empresa e aos horários do expediente, utilização de linguagem adequada nas comunicações interpessoais e por escrito, aparência adequada ao ambiente, seriedade no desenvolvimento e cumprimento das funções, proatividade, dentre outras, são atributos esperados do colaborador. O conjunto desses atributos que implicam bom desempenho das atividades e comportamento adequado é chamado profissionalismo. A conduta ética profissional possibilita ao colaborador a oportunidade de crescer dentro da organização. Ao apresentar um desempenho de excelência, este estará no caminho certo para se destacar e alcançar cargos mais importantes. (MARQUES 2016)

Ainda conforme MARQUES (2016), você tem um leque de profissões para escolher, porém, ao escolhê-la, você será obrigado a respeitar as regras, direitos e deveres, que fazem parte de determinada profissão. A isso denominaram ética profissional.

O fato de uma pessoa trabalhar numa área que não escolheu livremente, o fato de ‘’pegar o que apareceu”’ como emprego por precisar trabalhar, o fato de exercer atividade remunerada onde não pretende seguir carreira, não isenta da responsabilidade de pertencer, mesmo que temporariamente, a uma classe, e há deveres a cumprir.” (MARQUES, 2016)

O treinamento é a alma do negócio

Conforme o GUIA DO GARÇOM (2017), a postura profissional não é obtida do dia para noite, por isso é necessário que haja treinamento de equipes para que se estabeleça um padrão de atendimento.

Os garçons devem ser treinados principalmente porque alguns pratos, ou bebidas, devem ser servidos de um jeito específico; O cliente pode ter dúvidas e é preciso saber todos os detalhes do produto, desde os ingredientes, até o modo de preparo; Padrões de atendimento devem ser estabelecidos; Deve-se evitar ao máximo qualquer tipo de erro e atraso; A equipe bem treinada trabalha em sintonia. (GUIA DO GARÇOM, 2017).

Conclusão

Como foi colocado antes, percebe-se a importância da apresentação pessoal e da postura profissional para a profissão de garçom, quer seja de garçom taifeiro, quer seja de garçom de um restaurante ou outro estabelecimento comercial. O importante é que não se deixem cair no comodismo profissional que ocasiona o relaxamento do trabalhador. Deve-se buscar incessantemente o crescimento profissional e pessoal para se obter êxito no que se faz, sem esquecer que a aparência do profissional conta muito e que sua postura profissional e sua aparência profissional é seu cartão de boas vindas.

Referências:

Associação Brasileira de Bares e Restaurantes Garçom – Módulo para Treinamento Ocupacional – Programa Qualidade na Mesa Bares e Restaurantes – Serviços de Alimentação. 2007.

FERREIRA, Raquel Auzier.  Higiene pessoal e uniforme para garçons. Tecnologia e treinamento. 2017. Visitado em http://www.tecnologiaetreinamento.com.br/hotelaria/padrao-de-higiene-saude-garcom-vestuario/. Acessado no dia 30/09/2018.

Guia do Garçom. Instituto de Hospitalidade, Sebrae e Ministério do Turismo. 2017.

MARQUES, José Roberto. Como Manter Ética e Postura Profissional no Ambiente de Trabalho?. 2016.

Milionário e José Rico. A dama de Vermelho. IN: Vagalume.  Visto em https://www.vagalume.com.br/milionario-e-jose-rico/a-dama-de-vermelho.html. Acessado em 30/09/2018.

 

 

Gabriel Augusto Gualberto Barbosa

-

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *