Biossegurança com Produtos Químicos Perigosos: Como Armazenar e Regras Gerais Relativas a Incompatibilidades Químicas

INTRODUÇÃO

O significado da palavra biossegurança, pode ser entendido por seus componentes: bio (do grego bios) significa vida; e, segurança se refere à qualidade de ser ou estar seguro, protegido, livre de riscos ou de perigo. Portanto, biossegurança refere-se à vida protegida, preservada, livre de danos, perigo ou risco.1 A biossegurança é o conjunto de ações voltadas para a prevenção, minimização ou eliminação de riscos inerentes às atividades de pesquisa, produção, ensino, desenvolvimento tecnológico e prestação de serviços, visando à saúde do homem, dos animais, a preservação do meio ambiente e a qualidade dos resultados. 1 Biossegurança ou segurança biológica refere-se à aplicação do conhecimento, técnicas e equipamentos com a finalidade de prevenir a exposição do trabalhador, laboratório e ambiente a agentes potencialmente infecciosos ou biorriscos. Biossegurança define as condições sobre as quais os agentes infecciosos podem ser seguramente manipulados e contidos de forma segura.1 Basicamente existem três mecanismos de contenção dos riscos: técnicas e práticas de laboratório; equipamentos de segurança e o design de laboratório.1 Os riscos no ambiente laboral podem ser classificados em cinco tipos, de acordo com a Portaria nº 3.214, do Ministério do Trabalho do Brasil, de 1978. Esta portaria contém uma série de normas regulamentadoras que consolidam a legislação trabalhista, relativas à segurança e medicina do trabalho. Encontramos a classificação dos riscos na sua Norma Regulamentadora n° 5 (NR-5): riscos de acidentes, ergonômicos, físicos, químicos e biológicos.1 Os agentes de risco químico são considerados as substâncias, compostos ou produtos que possam penetrar no organismo do trabalhador pela via respiratória, nas formas de poeiras, fumos, gases, neblinas, névoas ou vapores, ou que seja, pela natureza da atividade, de exposição, possam ter contato ou ser absorvido pelo organismo através da pele ou por ingestão. 1 Este trabalho voltará sua atenção aos riscos químicos, abordará o que são os produtos químicos perigosos e sua classificação, regras de armazenamento, condições do local de armazenamento, as incompatibilidades químicas e as medidas de segurança a serem adotadas a fim de diminuir os riscos e evitar acidentes.

DESENVOLVIMENTO

Produtos Químicos Perigosos e sua Classificação:

Produtos químicos perigosos são substâncias naturais ou fabricadas pelo homem, que em função de suas características físico-químicas e toxicológicas apresentam um risco potencial à vida, à saúde humana e ao meio ambiente .

Atualmente, devido ao avanço tecnológico, a quantidade e a variedade de produtos químicos em uso têm aumentado consideravelmente e, consequentemente, a possibilidade e a gravidade dos acidentes ocasionados por eles também aumenta . Daí a necessidade de se estabelecer uma classificação de risco referente aos produtos químicos perigosos para que, em casos de acidentes envolvendo-os, as ações sejam tomadas de forma correta, segura e rápida.

Vários sistemas de identificação dos produtos perigosos têm sido desenvolvidos, a fim de auxiliar as decisões tomadas no caso de acidentes e no armazenamento deste tipo de produtos .

A classificação da Organização das Nações Unidas (ONU) é a mais utilizada, e divide os produtos perigosos em nove classes de risco e respectivas subclasses3,4,5 , que são mostradas na Tabela 1 (Anexo). A classificação de uma substância numa das classes de risco, apresentadas na tabela, é realizada por meio de critérios técnicos, os quais estão definidos na legislação do transporte rodoviário de produtos perigosos.

Regras de Armazenamento:

O grande número de problemas de estocagem deve-se à diversidade de produtos químicos que devem ser estocados. A estocagem descuidada associada com a falta de planejamento e controle é um convite para acidentes pessoais e danos materiais. Os produtos químicos que necessitam estocagem podem ser sólidos, líquidos e gasosos, podem estar contidos em embalagens de papel, plástico, vidro ou metal que podem ser caixas, garrafas, cilindros ou tambores. A natureza de cada produto pode ser considerada individualmente ou em relação a outros produtos estocados na mesma área. Para armazenamento de produtos inflamáveis devem ser conhecidas suas seguintes propriedades: ponto de ebulição (temperatura em que o material passa ao estado de vapor), ponto de fulgor, (temperatura na qual o material se inflama se houver fonte de ignição próxima embora a chama não se mantenha) e tipo de extintor adequado para ser usado em caso de incêndio.

O tipo de recipiente adequado para líquidos inflamáveis depende em parte do volume estocado e da frequência com que é manipulado. A quantidade de líquido inflamável em estoque deve ser a mínima necessária, sendo que grandes quantidades de inflamáveis, devem ser estocados em almoxarifados especiais. Lotes de tambores de líquidos inflamáveis com alta pressão de vapor devem ser protegidos do sol ou borrifados com água. Deve haver no local de estocagem um sistema de drenagem para evitar, no caso de acidente, que o líquido inflamável escoe por baixo ou entre os tambores. Uma rede de hidrantes deve ser localizada de tal forma que todos os tambores possam ser atingidos com jatos. Quando for necessária a estocagem de grandes quantidades de inflamáveis em laboratórios, é necessário um sistema automático de “sprinklers”. Uma ventilação adequada para remoção dos vapores deve ser 5 providenciada, além de um sistema de drenagem de líquidos derramados, com descarga em local seguro. Embora seja prático, recipientes de vidro devem ser evitados na estocagem de líquidos inflamáveis. Pequenas quantidades de líquidos inflamáveis, por exemplo, menos de 20 litros podem ser estocados em latas devidamente rotuladas. Recipientes em aço inoxidável são mais adequados quando é considerada a pureza do inflamável. 5 Em relação a produtos tóxicos, a quantidade de produtos estocada deve ser mantida na mínima necessária. Se possível, grandes quantidades de material tóxico devem ser estocadas fora dos prédios onde circulem pessoas. Quando a estocagem for feita, por extrema necessidade e curto intervalo de tempo, no próprio local de trabalho, a área deve ser ventilada e o local de estoque deve ser sinalizado, de forma que todas as pessoas que por ali circulem, sejam instruídas sobre o risco potencial de tais materiais. Em tais locais, é proibida a ingestão de alimentos sólidos ou líquidos e somente pessoas autorizadas devem ter acesso a tais materiais.

Já sobre os produtos explosivos, é necessário um sério controle de estocagem destes reagentes e severas medidas de segurança. A área de explosivos deve ser bem identificada e isolada das outras áreas. O tipo de área de estocagem requerida dependerá do tipo de produto e da quantidade estocada. É frequente o uso de blindagem na estocagem de explosivos. A melhor fonte de informação para seleção e projeto da área de estocagem de explosivos é o próprio fornecedor do produto. Existem tabelas contendo as distâncias necessárias para a estocagem dos produtos classificados como altamente explosivos.5 Os agentes oxidantes não devem ser estocados na mesma área que combustíveis, tais como inflamáveis, substâncias orgânicas, agentes desidratantes ou agentes redutores. Qualquer vazamento de material deve ser imediatamente removido, pois a limpeza da área é essencial para a segurança. A área para estocagem de agentes oxidantes deve ser resistente ao fogo (blindada inclusive), fresca, bem ventilada e preferencialmente longe das áreas de trabalho.

Os líquidos corrosivos devem ser estocados em uma área fresca, porém, mantidos em temperatura superior ao de seu ponto de congelamento. Esta área deve ser seca e bem ventilada com ralos que possibilitem a remoção de qualquer vazamento. Com alguns líquidos corrosivos é necessário que os tambores sejam periodicamente aliviados da pressão causada pelo hidrogênio gerado pela ação do corrosivo com o tambor metálico.5 Os gases comprimidos podem ser classificados como gases liquefeitos, gases não liquefeitos e gases em solução. Todos apresentam um risco potencial no laboratório, devido à pressão dentro dos cilindros e ainda sua flamabilidade e toxicidade. Os gases comprimidos são fornecidos aos laboratórios em cilindros de diversas capacidades. Os cilindros devem ser identificados e estocados em áreas bem ventiladas e livres de materiais inflamáveis. Os cilindros estocados ao ar livre devem ser protegidos contra variações excessivas na temperatura ambiente e de contato direto com o chão. Os cilindros de gases comprimidos devem ser estocados na posição vertical e garantidos contra eventuais quedas. Os cilindros cheios devem ficar separados dos cilindros vazios. Se o espaço para estocagem exigir que os cilindros contendo gases de diferentes tipos sejam estocados juntos, deve-se ao menos agrupá-los por tipo de gás. Os gases inflamáveis devem ser separados dos gases oxidantes usando o cilindro dos gases não combustíveis. Sendo possível, os cilindros de gases inflamáveis e oxigênio devem ser mantidos fora dos prédios e distribuídos por sistemas de tubulação até os locais de uso.

Áreas de estocagem para produtos químicos sensíveis à água devem ser projetadas para evitar qualquer contato com água, e isto é feito da melhor forma mantendo todas as possíveis fontes de água fora da área. Os “sprinklers” devem ser eliminados onde grande quantidade dos materiais está guardada ou aonde a reação irá definitivamente propagar ou potencializar um incêndio ou causar uma explosão, contudo tem sido demonstrado que os “sprinklers” têm sido efetivos no controle de incêndios causados por materiais tais como magnésio. 5 Áreas separadas de estocagem devem ser providenciadas para produtos químicos incompatíveis (produtos podem reagir e criar uma condição de perigo).

 Como deve ser o local de armazenamento?

O almoxarifado é o local destinado à recepção, guarda, controle, conservação, distribuição e fiscalização de materiais de uso em laboratório químico. Tal como um laboratório, o almoxarifado deve ser construído de acordo com especificações para edificações de ambientes de trabalho. O almoxarifado, bem como os produtos químicos nele contidos, deve possuir sinalização adequada para evitar riscos de acidentes.Os locais onde ficam armazenados produtos químicos devem ser dotados de piso impermeável, com caimento que favoreça o escoamento de líquidos para canaletas de controle ou dispositivos de contenção, em caso de derramamento ou vazamento.As canaletas de controle ou dispositivos de contenção não devem permitir o descarte do material resultante de derramamento ou vazamento em galerias de águas pluviais ou esgotos, antes de serem adequadamente tratados.É recomendado que nas proximidades do local de armazenamento de produtos químicos exista ponto de captação de água, chuveiro de emergência ou lava-olhos.  As áreas destinadas ao armazenamento de produtos químicos deverão dispor de ventilação eficiente, a fim de impedir o acúmulo de vapores. As edificações destinadas ao armazenamento de produtos que possam gerar gases deverão ser dotadas de aberturas superiores a fim de impedir a formação de bolsas de gases. Havendo pontos de emissão de partículas ou possibilidade de formação de névoas, os locais de armazenamento deverão ser dotados de sistema de ventilação local exaustor. Os locais de armazenamento não poderão estar expostos a intempéries (qualquer extremo de condições climáticas). O local de armazenamento de produtos químicos deve estar adequadamente iluminado permitindo a leitura fácil e objetiva da identificação dos produtos e dos cuidados necessários para a manipulação dos mesmos.

As instalações elétricas do local de armazenamento de produtos químicos, bem como as lâmpadas existentes deverão estar totalmente vedadas (blindadas), de modo a evitar a ação corrosiva dos vapores ácidos, ou ignição de misturas inflamáveis, quando os produtos estocados apresentarem essas características.6 Os locais destinados à armazenagem de produtos químicos devem estar adequadamente sinalizados, quanto ao produto e grau de agressividade do mesmo.6 Todos os colaboradores das áreas de armazenamento de produtos químicos devem receber treinamento específico de manuseio e primeiros socorros.6 Assim como no laboratório, o local de armazenamento de produtos químicos também requer o uso de EPI, como: máscara facial ou semi-facial com filtro apropriado para multigases, luvas de borracha nitrílica ou neoprene, óculos de proteção e jaleco de algodão.

Incompatibilidades Químicas:

Sabe-se que os reagentes não devem ser armazenados de forma aleatória ou por ordem alfabética, pois pode haver incompatibilidade química entre eles. Neste contexto, áreas separadas de estocagem devem ser providenciadas. As substâncias incompatíveis, por sua vez, devem ser estocadas em áreas próprias de acordo com a classe de risco das mesmas. Tais cuidados devem ser tomados, pois estas substâncias podem reagir violentamente entre si produzindo calor, explosão e/ou a liberação de produtos altamente tóxicos e/ou inflamáveis. Exemplos dessas reações podem ser visualizados na Tabela 2 (Anexo). Para maior compreensão das incompatibilidades, a Tabela 3 (Anexo) relaciona a incompatibilidade de alguns reagentes mais utilizados. Como regra geral, as substâncias do lado esquerdo da coluna devem ser estocadas e manuseadas de tal forma que não possam entrar em contato, sob condições não controladas, com as substâncias correspondentes do lado direito da coluna. Portanto, as substâncias incompatíveis devem ser armazenadas em estantes distintas, de modo que sejam dispostas o mais distante possível. Uma boa sugestão é o uso de compartimentos secundários, tais como bandejas, para acomodar os reagentes.

 Medidas de Segurança:

Para garantir a segurança das pessoas que trabalham em laboratórios que contenham produtos químicos perigosos, é necessário que algumas medidas sejam tomadas, a fim de minimizar situações de exposição ao risco causado por este tipo de produto. Essas medidas vão desde a preparação de documentos até a manipulação propriamente dita dos mesmos. Seguem abaixo algumas importantes medidas de segurança, que devem ser seguidas:

  •  Preparação de documentos informativos a respeito do uso, manipulação e disposição dos produtos químicos perigosos e divulgação para todas as pessoas que trabalham no laboratório;
  • Adquirir quantidade mínima necessária às atividades do laboratório e não aceitar produtos químicos sem rótulo ou com a embalagem violada;
  • Utilizar somente produtos químicos compatíveis com o sistema de exaustão e ventilação do laboratório;
  • Selar tampas dos recipientes de produtos voláteis em uso com filme inerte, para evitar odores ou a deterioração do mesmo;
  • Não armazenar produtos químicos em prateleiras elevadas, nem dentro da capela e nem no chão do laboratório;
  • Observar a compatibilidade dos produtos químicos;
  • Considerar de risco elevado os produtos químicos desconhecidos. Mesmo tomando-se as medidas de segurança necessárias, derrames acidentais de produtos perigosos podem ocorrer, apesar de isso ser bem menos frequente do que quando essas medidas não são tomadas. Nesses casos recomenda-se que a área seja isolada e que o responsável pela segurança seja comunicado. Além disso, a pessoa responsável pela limpeza do local deverá utilizar máscara para respiração, luvas, óculos e todos os EPIs necessários. É necessário que se adicione um adsorvente tipo diatomácea em caso de derramamento de ácidos ou bases, ou carvão ativo para solventes, ou recipiente metálico conveniente, caso o produto reaja com plástico. Deve-se providenciar a limpeza do local e deixar ventilar até não se ter mais vapores residuais no ar. Caso haja chamas, estas devem ser controladas utilizando extintores adequados ao tipo de material e deve-se permitir a exaustão adequada do ambiente .

CONCLUSÃO

A biossegurança é um tema que vem ganhando destaque nas discussões ao longo dos últimos anos. Com o avanço da utilização de laboratórios químicos tanto na área de ensino, como na área de pesquisa, a discussão sobre este tema ganhou importância, pois a segurança e a integridade das pessoas são essenciais. O conhecimento prévio sobre o armazenamento adequado de produtos químicos, suas incompatibilidades e sua correta manipulação evita acidentes e contribui de maneira significativa para a segurança de todos os usuários dos laboratórios. Apesar desta preocupação, acidentes podem ser inevitáveis e caso venham a ocorrer é necessário conhecer as características de cada reagente, bem como métodos para realizar a sua contenção e ainda, que os usuários dos laboratórios possuam conhecimentos, ainda que básicos, na área de primeiros socorros. Avaliando a biossegurança, a prevenção continua sendo a melhor maneira de minimizar riscos e assim, evitar acidentes.

REFERÊNCIAS

PENA, A.P. Biossegurança. SENAC – Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial. Curso Técnico em Segurança do Trabalho. 2007. Disponível em: http://www.trabalhosfeitos.com/topicos/apostila-senac-biosseguran%C3%A7aservi%C3%A7o-nacional-de-apren/0. Acesso em: 25 fev. 2015.

Defesa Civil do Rio de Janeiro. Disponível em: http://www0.rio.rj.gov.br/defesacivil/produtos_perigosos03.htm. Acesso em: 30 jan. 2015.

SIIPP – Sistema Integrado de Informação de Produtos Perigosos. Disponível em: http://200.144.30.103/siipp/public/default.aspx. Acesso em: 30 jan. 2015.

HADDAD, E.; SERPA, R.; ARIAS, R. Identificação e Classificação de Produtos Perigosos: Classificação de Riscos da ONU, Painel de Segurança e Rótulo de Riscos. Disponível em: http://www.bvsde.paho.org/cursode/p/modulos/modulo_1.5.1.pdf. Acesso em: 27 fev. 2015.

COSTALOA, A.; FINAZZI, G.; GONÇALVES, M. Normas de Armazenamento de Produtos Químicos. Universidade Estadual Paulista. 2010. Disponível em: http://www.unesp.br/pgr/pdf/iq2.pdf. Acesso em: 13 fev.2015.

Armazenamento de Produtos Químicos – NuBio. Disponível em: http://www.fiocruz.br/biosseguranca/Bis/lab_virtual/armazenamento_de_produt os_quimicos.html. Acesso em: 28 fev. 2015.

Manual de Biossegurança. Disponível em: http://lacen.saude.sc.gov.br/arquivos/MBS01.pdf Acesso em: 14 fev. 2015.

Manual de segurança e boas práticas para laboratórios de ensino e química. Disponível em: http://www.cce.ufes.br/dqui/html/arquivos/manualsms.pdf Acesso em: 19 fev. 2015.

Guia de Orientação Básica para Uso, Armazenagem e Manuseio de Produtos Químicos. Disponível em: http://www.grcruzeiro.com.br/seguranca.pdf Acesso em: 20 fev. 2015.

Bruna

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *