Biossegurança e suas Normas

A preocupação com infecções deve ser levada muito a sério, pois os microrganismos proliferam-se muito rápido. Ficando assim como responsabilidades dos cirurgiões dentistas estarem sempre aperfeiçoando seus conhecimentos sobre os procedimentos de biossegurança. Apesar de sua importância, a prevenção de infeção ainda está longe de ser perfeita, muitos profissionais negligenciam esses cuidados básicos, muitas vezes por falta de conhecimentos, tanto no serviço público como o privado, colocando em risco a população. Para evitar esses microrganismos, as clínicas odontológicas deverão ser criteriosas em anamnese dos usuários, lavarem bem as mãos, usarem luvas de procedimentos, fazerem correto as esterilizações e, também, fazer os armazenamentos dos instrumentos e vacinação da equipe da saúde bucal em locais adequados.

A contaminação pode ser agravada através de equipamentos, como as canetas de alta e baixa rotação, pois as mesmas produzem partículas líquidas e ou sólidas suspensa no ar, sendo que os cirurgiões e equipes, ficam expostos à riscos com microrganismos encontrados na saliva e no sangue dos pacientes. Portanto os profissionais dessa área têm que tomar muito cuidado para não serem infectados com doenças como: gripes, hepatites e AIDS.

Os materiais cortantes também são portadores de perigo, portanto tem que fazer de forma responsável o uso dos mesmos e descartando sempre em local apropriado.

O profissional da área da saúde, deve estar sempre imunizado para não contrair doenças como hepatite B, influenza, tríplice viral e dupla tipo adulto.

Quando o profissional for fazer algum procedimento, deverá lavar bem as mãos com água e sabão, esfregando bem ao redor das unhas e entre os dedos no mínimo uns quinze segundos e quando for procedimento cirúrgico, lavar as mãos e antebraços com água e sabão e solução de antissépticos.

Terão que serem removidos acessórios como: anéis, relógios, correntes, pulseiras e prender bem os cabelos, colocar máscara descartáveis, gorro, óculos de proteção, avental de mangas longas, luvas, calçados fechados e antiderrapantes, no final do procedimento, os instrumentos deverão serem esterilizados devidamente embalados no auto clave ou na estufa e os produtos descartáveis deverão ser descartados.

Ter um cuidado especial com o lixo hospitalar, colocando sempre embalagens adequada como: saco de lixo branco leitoso para resíduos infectante como sangue, e os resíduos do amalgama deverão serem colocados em um recipiente inquebrável com tampa e os perfurantes devem serem colocados em caixas especificas. Quando houver acidente com esses materiais contaminados, procurar atendimento dentro de 48 horas. O risco de infecção cruzada deve ser sempre uma preocupação para o cirurgião dentista e da equipe de saúde bucal.

Portanto, deve-se respeitar sempre as normas de BIOSSEGURANÇA.

Maria Madalena da Silva

Campinas - SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *