Educação para o Trânsito: Um Convívio Social e Seguro

Dentro deste tema, os desafios estão surgindo, onde a principal preocupação será compreender o estudo e expressar os fundamentos encontrados também nos sujeitos do estudo, assim como em outros trabalhos em outras áreas e preencher as lacunas nas interpretações dos estudos. O qual neste texto é fundamental que não deixemos de apontar a importância observada e indicar uma mudança positiva em nosso trânsito, o que será possível, quando, pela significação dos reflexos, os próprios intérpretes do direito e da sociedade assumirem o compromisso de obter um trânsito seguro o qual será as condições para todos.

Por fim, a partir do tema proposto até o momento, além dos objetivos propostos, emergem outros pontos relevantes, visando levantar a discussão sobre a interpretação que é feita do nosso trânsito e quais são seus paradigmas e como podemos buscar efetivamente, não só em teoria, para assim obtermos um trânsito seguro. 

Educação no Trânsito

A situação alerta cidadãos do país, pois as relações no trânsito envolvem valores ou princípios de interação social pacífica, como o respeito aos outros, a prudência, a obediência às leis e a solidariedade, pois a sociedade passa muitas vezes por crises marcadas pela agressão e pelo individualismo.

Com isso, podemos ver nas escolas as grandes mudanças para uma vida social harmoniosa e segura, onde a educação pode criar condições para que os alunos construam seus conhecimentos, criem, questionem e exerçam suas próprias potencialidades de convivência colaborativa, sem esquecer sua cultura e valores.

No entanto, para entender primeiro como a violência no trânsito acontece, primeiro vamos definir o que é o trânsito e como ele aparece na vida das pessoas, para Vasconcellos (1998 p.14):

Trânsito é o conjunto de deslocamentos diários de pessoas pelas calçadas e vias é a movimentação geral de pedestres e de diferentes tipos de veículos. O trânsito ocorre em espaço público e reflete o movimento de múltiplos interesses, atendendo às necessidades de trabalho, saúde, lazer e outros, muitas vezes conflitantes.

A falta de respeito pelas regras de trânsito é a causa de vários acidentes. A educação para o trânsito pode e deve desenvolver atitudes cooperativas e garantir que bons conceitos sejam aplicados no ambiente social, remetendo a uma nova visão do comportamento das pessoas no trânsito, que deve ser norteada pelo cuidado e promoção das práticas de valorização da vida, tornando-se um lugar de vida social e segura.

A importância da Sinalização de Trânsito

É muito importante para nós mantermos a atitude correta, conhecendo as leis e os sinais, e também cuidando do ambiente em que vivemos.

Sinais de trânsito informam e guiam os usuários da estrada. O respeito pela sinalização garante tráfego mais organizado e seguro para motoristas e pedestres.

Placas, inscrições em estradas, sinais, gestos e sons compõem o código do sinal de trânsito. Essas informações que regulam o trânsito alertam os usuários das vias, indicam serviços, direções e distâncias, e são classificados pela CTB em sinalização vertical, sinalização horizontal, dispositivos auxiliares de sinalização, sinalização de semáforos, sinais sonoros e gestos.

Com isto, é importante tomar consciência da questão dos futuros motoristas , onde acredita-se que será através da educação que podemos contar com cidadãos mais conscientes e sensíveis aos problemas encontrados no trânsito.

Conhecer o Código de Trânsito Brasileiro

O trânsito é um lugar social onde o exercício da cidadania é constantemente praticado, e todos os usuários e entidades têm direitos e deveres. O conhecimento e o respeito por estes são a base para um trânsito seguro, ordenado e democrático, garantindo as premissas do atual Código de Trânsito, que são: a defesa da vida e a preservação do meio ambiente.

Quando lemos a CTB, notamos que o trânsito brasileiro é bem equilibrado, pois possuem diretrizes claras, onde as responsabilidades são divididas de forma concreta em parceria entre as esferas federal, estadual e municipal.

Finalmente, a leitura da CTB diz muito sobre nós mesmos, sobre nossas necessidades e nossos anseios. Sua totalidade nos traz a ideia de que a segurança no trânsito, sendo assim um bem e um dever para todos, é conhecer e praticar todas as suas diretrizes.

Conclusão

Com base nos dados obtidos sobre a importância da educação para o trânsito, comprova-se sua importância, onde os procedimentos educacionais, em um contexto geral, são fatores inibidores e reduzem as taxas de acidentes de trânsito.

Acredita-se que as propostas de educação para o trânsito estão inseridas no atual Código de Trânsito Brasileiro, onde prevê em suas orientações a aplicação de medidas administrativas e penais que, em essência, visam sempre a reeducação e aplicação das regras de trânsito.

Por fim, o trânsito, em condições seguras, é um direito de todos e o dever dos órgãos e entidades que compõem o Sistema Nacional de Trânsito, onde compete a eles, tomar medidas para assegurar esse direito.

Referências

BRASIL – Lei n? 9.503 de 23 de Setembro de 1997 – Código de trânsito Brasileiro, Brasília – DF 1997.

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9503.htm.  Acessado em 12 de fevereiro de 2019.

VASCONCELLOS, Eduardo A. O que é Trânsito. 3. ed. rev. e ampl. São Paulo: Brasiliense, 1998. (Coleção primeiros passos; 162).

 

Diógenes Amorim da Silva

Carneiros - AL

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *