Preparando o Café Perfeito e Os Impactos Da Utilização Do Leite

Se você é um apreciador de café, o seu dia provavelmente não começa antes de uma saborosa xícara de café, seja ela preparada por você mesmo ou adquirida em sua cafeteria favorita. O sabor do seu “cafézinho” é influenciado por muitos fatores, entre eles a composição mineral da água utilizada, a variedade e qualidade dos grãos de café escolhido e as etapas do processo de fabricação do mesmo.

Além do puro tradicional, o mundo do café também está familiarizado com o uso do leite na preparação de bebidas derivadas deste grão. A capacidade do leite de criar espumas perfeitamente estáveis, faz dele o ingrediente favorito entre os Baristas e clientes ao redor do mundo. Existem vários componentes encontrados no leite que contribuem largamente para sua versatilidade culinária, os quais serão expostos á seguir.

Preparando o Café Perfeito e Os Impactos Da Utilização Do Leite.

De acordo com pesquisadores da Universidade de Bath, a composição da água interfere diretamente no sabor do café. Baixos níveis de bicarbonato e altos níveis de magnésio são a chave para a produção da xícara de café perfeita. O estudo revelou que a composição mineral da água teve o maior impacto no produto final dentre as seis substâncias químicas analisadas.

A água rica em magnésio melhora a extração dos sabores dos grãos de café, enquanto o sódio e os bicarbonatos, freqüentemente encontrados em água mineral engarrafada, estragam o sabor.

Se você está se perguntando o que faz com que o café que você ama seja uma bebida perfeita para começar o seu dia, eu vou guiá-lo por uma jornada de descobertas que mudarão completamente sua compreensão sobre café, como você prepara seu café e a ciência por trás do café.

Tudo começa com o tipo e a qualidade da água

Como amante de café, você provavelmente sabe que os grãos de café têm centenas de produtos químicos diferentes neles. A composição, de forma mais precisa, no entanto, depende do tipo de grão, onde este é cultivado e como é torrado. No estudo feito por pesquisadores da Universidade de Bath, aprendemos que a composição da água é importante para garantir as proporções corretas de amidos, bases, açúcares e ácidos extraídos na torra do café.

O sabor de uma xícara de café é determinado pelo nível em que a água extrai os produtos químicos do grão moído, um processo que é amplamente influenciado pelo procedimento de moagem, temperaturas, tipo de torra, tempo de fermentação e pressão utilizada.

Portanto, para fazer uma xícara de café perfeita, você deve garantir o uso de uma água que seja da qualidade certa para este fim. Água dura, ou água com elementos salgados em sua composição, geralmente é ruim para o café, mas é o tipo de dureza que realmente importa. Vale a pena notar que não existe um tipo de água que produza sempre e de maneira consistente, extrações saborosas de todo o café torrado. Isso explica porque o sabor da sua xícara de café pode variar muito, mesmo quando fabricado em condições quase idênticas.

Os melhores resultados de produção de café podem ser obtidos usando diferentes técnicas de filtragem e manipulando água de torneira razoavelmente dura. Se você é um eterno bebedor de café cujos dias podem dar errado, a menos que comecem com uma xícara de café, ou apenas queira dominar a arte de fazer o café perfeito, você deve dominar o equilíbrio das variáveis importantes que podem criar ou arruinar o copo perfeito de café.

O que dá ao café seu aroma viciante?

A maior parte do que provamos no café é, na verdade, cheiro. As únicas sensações que a boca é capaz de captar são as azedas, amargas, salgadas e umami (este último sendo uma mistura dos outros 3). Se você não cheirasse, o café só teria gosto azedo ou amargo, devido aos ácidos orgânicos. Se você duvida, tente segurar o nariz na próxima vez que der o primeiro gole.

O sabor rico e satisfatório do café vem quase inteiramente dos compostos voláteis que são produzidos quando os grãos de café são torrados. Estes compostos produzidos durante o processo de torrefação são muito parecidos com outros tipos de compostos formados quando se cozinha alimentos. Por exemplo, o cheiro do pão é na verdade o cheiro de compostos que são feitos quando um tipo de proteína reage com o açúcar durante o processo de cozimento.

Existem cerca de 800 compostos diferentes produzidos durante a reação de degradação térmica quando grãos de café são torrados. A maioria destes compostos, decompõe proteínas e açúcar e depois reage para formar os compostos voláteis que dão ao café o seu cheiro único. A maioria das reações ocorre dentro das paredes espessas das células do grão de café, que, em sua forma, atuam como pequenas câmaras de pressão. Cada um dos 800 compostos que reage para dar ao café o seu aroma, causa respostas diferentes à membrana olfativa do nariz.

Quando você usa grãos de café não torrados (verdes) para fazer seu café, ele terá um gosto de grama. Enquanto os mesmos compostos orgânicos em grãos torrados estão presentes, e o café tem aproximadamente a mesma quantidade de cafeína, ele não tem a sensação desejada porque há menos compostos voláteis que são liberados apenas durante a torrefação.

O café torrado tem apenas cerca de 20 compostos principais, mas é a influência dos muitos compostos menores que lhe dão o sabor geral que amamos tanto. Quando os odores desses compostos voláteis são analisados, eles realmente têm uma ampla gama de diferentes qualidades de odor – compostos contendo nitrogênio ou piridina tem cheiros desagradáveis, mas outros têm um cheiro frutado. Outros compostos têm odores descritos como rançosos e pútridos. É justificável concluir que o cheiro que você identifica positivamente como “café” é uma combinação de centenas de diferentes odores emitidos por compostos voláteis.

Preparando a xícara de café perfeita – o que é preciso

Agora que sabemos o que dá ao café seu sabor e cheiro únicos, mas, quais são as variáveis ??que determinam os resultados? Com tantos baristas especializados em fazer espressos, é difícil conseguir uma xícara de café ruim hoje. No entanto, pessoas diferentes têm preferências diferentes quanto ao sabor do café. Existem quatro variáveis ??importantes que você pode controlar para preparar a xícara de café perfeita:

– A espessura da moagem

– A temperatura da extração

– A duração da extração

– A proporção entre café e água

Como a cafeína é altamente solúvel em água, a maior parte é extraída cedo. Os compostos e óleos voláteis, responsáveis ??pelo complexo aroma e sabor do café, são extraídos mais lentamente. Os ácidos orgânicos que dão sabor amargo ao café levam mais tempo para serem extraídos. Nesta seção, passaremos por cada uma das quatro variáveis ??para descobrir como a xícara perfeita de café da manhã pode ser alcançada.

1. A espessura do moedor de grãos

A espessura dos grãos de café é moída e a duração da extração está intrinsecamente ligada. Quanto mais fino o café for moído, maior será a área de superfície em contato com a água. Pelo contrário, quanto maior a moagem, menor a área da superfície.

Isso essencialmente significa que, se você moer grãos de café em pó fino, você maximiza a área de superfície que está disponível para extração, levando a uma rápida extração dos compostos alvo. Isso pode ser uma coisa boa ou ruim, dependendo de quanto tempo o tempo de extração é. O café turco é muitas vezes bem moído e cozido. É isso que faz com que seja muito forte e amargo. A fineza também confere a lama (sólidos suspensos) que passam pelos filtros de café e até bloqueia os filtros, resultando em longas durações de extração, porque a água não pode passar com liberdade pela suficiente.

Grãos moídos no outro extremo do espectro têm uma área superficial muito pequena em contato com a água. Com tempo suficiente, é possível extrair café não moído, mas seria um desperdício porque a água não penetra no interior do grão. Nesse caso, a maioria dos elementos ainda estará dentro do grão quando ele for descartado como material residual.

A moagem ideal ou a grosseria dos grãos de café fica em algum lugar entre o pó finamente moído e os grãos muito grosseiros. O outro elemento, o tempo que a água quente passa pelo café moído, determina quão forte será o café. Quanto mais finamente moído for o grão, mais cafeína, óleos voláteis e compostos orgânicos estarão presentes na xícara de café.

Uma xícara de café produzida a partir de grãos de boa qualidade, mas que é muito insípida ou fraca, significa que os grãos são muito grosseiramente moídos e / ou havia uma alta taxa de fluxo. Se a xícara de café for extremamente amarga, ela contém níveis muito altos de ácidos orgânicos, porque os grãos foram muito finamente moídos.

2. Temperatura da Fabricação do Café

Supondo que mantemos todas as variáveis, exceto a constante de temperatura, o que aconteceria com o que aconteceria quando preparássemos café a diferentes temperaturas?

A temperatura afeta grandemente a solubilidade e as taxas de extração do composto. Se você usar água gelada, ainda pode fazer uma xícara de café, mas ela não seria tão rica quanto um copo feito com água fervente e levaria séculos para fazer uma xícara decente. O café frio é feito colocando-se grãos moídos na água fria, permitindo que ele se infiltre dentro da geladeira por horas – até dias, porque as taxas de extração são muito baixas.

Temperatura afeta moderadamente a solubilidade da cafeína e influencia fortemente a solubilidade de ácidos orgânicos na água. Portanto, você esperaria que uma xícara de café fabricada durante a noite em um refrigerador tivesse baixos níveis de cafeína e muito menos amargor em comparação com o café feito com água fervente. Quando você usa água fervente, tudo – cafeína e ácidos orgânicos – é extraído muito mais rápido, resultando em altos níveis de cafeína e ácidos orgânicos amargos.

A variável temperatura tem um fator complicador que deve ser levado em conta ao se ajustar a temperatura para preparar café – a volatilidade dos óleos. Quando o café é servido, o aroma e os compostos de sabor evaporam no vapor, resultando em café com um sabor fraco, ainda que rico em ácidos orgânicos e cafeína. Isso significa que a xícara perfeita de café da manhã não deve ser preparada em temperaturas extremas.

3. Hora do Café

A xícara de café ideal é aquela que tem a quantidade máxima de óleos voláteis e cafeína, mas quantidades limitadas de ácidos orgânicos amargos. Portanto, mantendo a aspereza dos grãos de café moídos e a temperatura de infusão constante, você pode influenciar as quantidades desses elementos alterando a duração do tempo de infusão. Este é o período de tempo em que a água está em contato com o grão moído para permitir a dissolução dos óleos, cafeína e ácidos.

Se o tempo de extração for muito curto, você receberá uma xícara de café que é rica em cafeína, mas tem sabor, amargor e aroma fracos, porque os elementos que influenciam o sabor não foram extraídos adequadamente. Se você extraísse café por muito tempo, seu copo teria altos níveis de ácidos orgânicos, o que o torna muito amargo.

O tempo certo e exato em que uma xícara de café perfeita deve tomar em seu preparo é determinada através de tentativa e erro. Outras variáveis ??nesta lista, como a temperatura e a espessura dos grãos de café, obviamente, desempenham um papel na determinação da duração da extração. Para fazer sempre um café perfeito, você teria que manter todas as outras variáveis ??constantes enquanto experimenta a duração da preparação para a mesma qualidade dos grãos de café.

4. Proporção café-água

Considerado o assunto mais importante para fazer a xícara de café perfeita, a proporção entre café e água é basicamente a quantidade de café para a mesma quantidade de água. Quando há quantidades muito pequenas de café, mesmo quando todas as outras variáveis ??são otimizadas, sua xícara de café terá um sabor fraco. Quando há muito café e pouca água, a fermentação será forte demais.

A proporção ideal entre água e café depende da sua escolha, do método de extração e do resto das variáveis nesta lista. Se você estiver usando um filtro para coar café, precisará de uma proporção menor de café para água porque a temperatura da água é mais alta e  a taxa de extração, também alta. Se estiver usando um êmbolo ou uma prensa francesa, você precisa ter mais café para uma unidade de água porque a temperatura da água cai rapidamente.Se você estiver usando uma moderna máquina de café expresso, você pode ajustar o volume de água de acordo com o seu gosto. A temperatura da água deve ser constante e mantida em torno de 97 ° C.

Em resumo, para se preparar o café perfeito, deve-se moer os grãos na proporção certa, controlar e manter constante a temperatura da água, controlar a duração da extração e ajustar a proporção entre água e café, seguindo as diretrizes de acordo com o método de extração escolhido.

A Adição de Leite em Bebidas Derivadas do Café

Existe uma razão pela qual a grande maioria das cafeterias não perguntam que tipo de leite você quer no seu café com leite: é porque elas não querem dar a você a chance de estragar tudo. Quando dada essa opção, muitos de nós tomadores de café, preocupados com a saúde, optariam por uma das opções com gordura reduzida, mas essa é a resposta errada quando se trata de fazer um latte bem feito. Lattes demandam gordura. Equilibra o sabor e contribui para a textura robusta, e o leite desnatado estraga tudo isso.
Se você quer beber café e beber algo gostoso, você tem que ceder à gordura. Ou vá de café preto.

O Conteúdo de Um Copo De Leite

Antes de entrarmos nos detalhes de como melhor mesclar seu leite perfeitamente com café, vamos considerar brevemente o que uma xícara de leite possui.

 

  1. Gordura

De acordo com análises laboratoriais, 4 a 5% do leite de vaca é constituído por gordura. E não apenas gordura, mas uma combinação complexa de vários tipos de gorduras.

Os glóbulos de leite gordurosos, que variam de ~ 0,1 a 10 micrômetros, fornecem uma membrana que protege a gordura do leite da degradação ou oxidação por enzimas que geram um sabor anormal no leite.

Os triglicerídeos são envolvidos por uma membrana que consiste de fosfolipídios, proteínas e glicéridos, e juntos formam o glóbulo de gordura do leite.

 

  1. Proteínas do Leite

Existem duas classes de proteínas que podem ser encontradas no leite, as proteínas do soro e as da caseína. Essas proteínas são encontradas na superfície superior dos glóbulos de gordura do leite após a homogeneização. As caseínas representam ~ 80 por cento da proteína total dos 3 – 4% da proteína no leite de vaca.

A porcentagem restante é composta de proteínas do soro do leite e pequenos agregados, também referidos como proteínas individuais. No entanto, a agregação prolongada de proteínas de soro e caseína através de aquecimento, utilizado durante o processo de  esterilização (10 min a 115 graus Celsius) e tratamento UHT (140 graus durante 5 segundos) pode causar uma viscosidade extra.

Mas tais efeitos podem ser limitados através de pasteurização comercial (72 graus durante 15 segundos).

Cientificamente, são as proteínas do leite que se fundem com os glóbulos de café para dar origem ao sabor característico que caracteriza os lattes e os cappuccinos. E o sabor fica melhor se o café estiver quente, em primeiro lugar.

 

  1. Homogeneidade do Leite

A homogeneização é usada para reduzir o nível de glóbulos de gordura no leite e formar uma camada de creme por cima, que normalmente ocorre durante o armazenamento. A formação de creme ocorre devido à menor concentração de gordura contida no leite. Diminuir o processo de creaming é conseguido através da redução do tamanho dos glóbulos de gordura do leite. A homogeneização envolve a passagem do leite através de uma pequena válvula a grande pressão.

O processo interrompe os glóbulos de gordura. A ciência aplicada aqui é a criação de mais espaço para a área superficial dos glóbulos planos, o que torna possível que as proteínas sejam absorvidas pela superfície ocupada pelos glóbulos de gordura.

Em suma, a moral da história é que não há duas caixas de leite iguais – da mesma forma, duas empresas de café não produzem exatamente a mesma qualidade de café. No mesmo espectro, não há uma medida métrica universal de quanto leite você deve adicionar ao seu café preto. Tudo se resume a preferência pessoal, se você gosta de seu café “italiano”, “francês” ou “americano” ou “o estilo que você cresceu tomando”. São boas receitas a serem seguidas, ao final de contas. Porém oque manda é o gosto pessoal.

 

Os Efeitos do Leite No Café : Bom ou Ruim?

Agora que você já sabe o que há realmente em cada xícara de leite que você retira da geladeira, é justo aprofundarmos um pouco acerca do impacto da adição de laticínios à sua xícara diária de café.

E longe da analogia de que “o leite apenas realça o sabor e a cor do seu café “, na verdade, há mais do que aquilo que você encontra nos olhos e no nariz todas as manhãs. Não é mais apenas uma questão de mera preferência.

Mas antes de começarmos, é bom reconhecer que o consumo regular de café é, de fato, saudável. Alguns dos principais benefícios associados ao café incluem melhorar sua memória e diminuir os riscos de desenvolver câncer. No entanto, dependendo de como você toma seu café, há benefícios exclusivos que você pode desfrutar.

 

Pesquisas Sobre os Efeitos do Leite no Café
 

Pesquisadores do Centro de Pesquisa da Nestlé, localizado na Suíça, descobriram recentemente que há a liberação duradoura de polifenóis benéficos após a ingestão de café.

Esses cientistas passaram então a examinar como o leite desnatado e o leite integral estão afetando a disponibilidade desses importantes nutrientes. Sua pesquisa está ajudando as pessoas a entenderem melhor se existe uma grande diferença em consumir café preto ou café com leite.

 

Mas o quê são polifenóis?

Polifenóis são antioxidantes encontrados no café. Estes antioxidantes são muito importantes, pois estão ligados a vários benefícios promotores da saúde. No entanto, sua disponibilidade em humanos é uma área que ainda precisa ser estudada minuciosamente.

Os cientistas da Nestlé estão empenhados em entender a biodisponibilidade exata do polifenol para permitir a entrega de quantidades ótimas desses importantes antioxidantes no café que produzem.

Resultados da pesquisa

Na pesquisa atual, adultos saudáveis ??receberam várias variedades de café, desde café instantâneo até café com leite. Depois de terminarem as bebidas, os pesquisadores esperaram 12 horas e coletaram amostras de sangue de todos os participantes. Os equivalentes de polifenol no plasma sanguíneo (ácidos ferúlico, iso-ferúlico e cafeico) foram medidos e a biodisponibilidade global das várias variedades de café foi estabelecida.

Os resultados do estudo mostraram que a adição de leite ao café não teve nenhum efeito sobre a biodisponibilidade do polifenol. No entanto, ao adicionar um creme não lácteo ao café atrasou o tempo em que os equivalentes de polifenol apareceram no sangue, não afetou a quantidade total entregue. Em suma, os polifenóis chegaram à corrente sanguínea independentemente do café consumido.

Avaliando os resultados

O café é uma das melhores fontes de antioxidantes, especialmente polifenóis, e os antioxidantes são importantes para manter o corpo saudável. O estudo realizado pelos pesquisadores da Nestlé finalmente mostrou que uma quantidade igual de polifenóis é entregue no café preto e a alternativa de café sem leite. No entanto, os cientistas estão empenhados em avançar seu estudo de ingredientes bioativos no café, de modo a entregá-los aos consumidores de uma forma ótima e eficaz.

 

Mas afinal: Você Deve Beber Seu Café Com Ou Sem Leite?

A deliciosa combinação de leite com café, presente nas manhãs de muitos brasileiros é, sem dúvidas uma paixão nacional. Para compreender melhor o que estamos consumindo nesta bebida, precisamos enfatizar duas substâncias-chave encontradas, respectivamente, no café e no leite: A cafeína e o cálcio.

Sobre o cálcio, devemos enfatizar que este se trata de um metal mole e maleável, encontrado na natureza em rochas, conchas ou areia. O cálcio também pode ser encontrado de forma abundante nos corpos dos seres vivos vertebrados. No corpo humano ele é encontrado armazenado dentro de nossas células e possui diversas funções vitais, dentre elas a composição dos ossos e dentes, coagulação do sangue, controle do sistema nervoso e muito mais. Sem ele, não podemos viver!

Já a cafeína, é um composto químico retirado de plantas e que é utilizado para consumo através de algumas bebidas. Quando em sua forma natural, a cafeína é de cor branca e possui sabor bem amargo. Apesar de não ser uma substância necessária para a existência humana, esta possui ação estimulante que atua diretamente no sistema nervoso. A ingestão de cafeína melhora o funcionamento cardíaco, auxilia no tratamento da depressão, melhora a atenção, concentração e muito mais. Porém, quando consumida em excesso, pode causas malefícios á saúde, como por exemplo dores de cabeça, crises de ansiedade, irritabilidade, entre outros. Tudo em excesso faz mal!

Sabendo disso, é necessária atenção e moderação na ingestão dessa mistura. Existem estudos que comprovam que a cafeína é capaz de induzir a perda de cálcio do corpo humano através da urina. E sendo assim, aliando este quesito á fatores de risco como obesidade, tabagismo e sedentarismo, pode levar á osteoporose.

Considera-se segura a dosagem de até quatro xícaras de café com leite por dia. Sem excessos é possível aproveitar os benefícios da cafeína e, melhor ainda, aliando com a ingestão do leite, que é rico em cálcio.

Porém, acima de quaisquer considerações pessoas, aqui vão algumas orientações sobre como tomar seu café:

1. Não adicione leite se você quer perder peso

Aparentemente, se você quer perder peso e está trabalhando ativamente para atingir esse objetivo, ter seu café sem leite por um tempo ajudará você a alcançar este objetivo. O café preto tem significativamente menos calorias em comparação com o café com leite e açúcar. Na verdade, com apenas 4,7 calorias por xícara, o café preto irá ajudá-lo a acompanhar a ingestão de calorias durante o período de perda de peso. Em contraste, o café que contém açúcar e leite tem impressionantes 56,6 calorias.

2. Adicione leite ao seu café à noite

Ter café preto puro energiza você, dando-lhe muito mais consciência mental e clareza, já que não há creme ou leite para limitar seus efeitos. Assim, beber uma xícara de café preto à noite pode acabar mantendo você acordado por um longo tempo até tarde da noite. Tomando as 50 calorias adicionais de café com leite seria a opção mais saudável e irá mantê-lo livre de interromper seus padrões de sono.

Para quem já tem dificuldade em dormir à noite, os especialistas recomendam não tomar café, seja preto ou com leite, após o pôr do sol. Caso contrário, se você estiver planejando fazer algo importante à noite e começar a sentir sono, tomar café preto será mais eficaz para mantê-lo acordado por mais tempo.

3. Adicione leite se você sofre de acidez estomacal

Pessoas com acidez estomacal (azia) são aconselhadas a evitar tomar café, especialmente café preto, pois tem um nível de pH extremamente alto. Além disso, tendo concentração de café preto também aumenta a concentração de ácido em sua urina. Assim, a melhor opção não é apenas tomar café com leite, mas também garantir que você beba água suficiente e adicione alimentos aquosos, como pepinos, à sua dieta, para ajudar a neutralizar esse efeito.

4. Adicione leite para prevenir o câncer esofágico

Uma das preocupações sobre o consumo de café é o fato de resultar em câncer de esôfago. É de conhecimento geral que beber uma xícara de café muito quente aumentará as chances de queimaduras térmicas nos tecidos sensíveis do esôfago. E, no caso de você não saber, essas queimaduras são uma parte vital do processo que contribui para o perigo de contrair malignidades esofágicas. No entanto, através da adição de leite à sua xícara de café, reduz muito a temperatura da sua bebida e pode torná-lo muito mais seguro.

É claro que existem benefícios e desvantagens em adicionar leite ao café. Mas mesmo que isso seja dito, os especialistas em saúde não recomendam o uso de leite integral ao tomar café, devido à sua contagem de carboidratos um pouco alta e potencial alergênico. Em vez disso, uma boa alternativa é usar um leite de amêndoas de baixo carboidrato hipoalergênico, enriquecido com cálcio. Desta forma, você está recebendo uma nutrição melhor e o leite de amêndoa também contém menos calorias.

O uso de leite de amêndoa oferece uma boa maneira de melhorar a qualidade e o sabor do café, adicionando cálcio à bebida e diminuindo simultaneamente a temperatura. O outro método simples de usar para melhorar seu café é adicionando uma pitada de canela. Estudos mostram que a canela ajuda a combater a resistência à insulina e retarda o envelhecimento.

Dito isto, parece que há desvantagens e benefícios únicos em ambos os lados. Portanto, é simplesmente uma questão do que realmente importa para você e, é claro, sua preferência pessoal.

Viva o café!

Referências

Café Com Leite Faz Bem Para a Saúde?. 2016. Disponível em <http://restauranteoberro.com.br/sem-categoria/cafe-com-leite/> Acesso em 01 de Agosto de 2018.

STEIN, Kelly. Tipos de Café #2: Do Pingado Ao Macchiato. 2018. Disponível em  <http://www.mexidodeideias.com.br/barista-e-sommelier/tipos-de-cafe-2-do-pingado-ao-macchiato/> . Acesso em 02 de Agosto de 2018.

REED, William. Antioxidant Uptake From Coffee Unaffected By Milk: Nestlé Study. 2010. Disponível em <https://www.nutraingredients.com/Article/2010/01/26/Antioxidant-uptake-from-coffee-unaffected-by-milk-Nestle-study>. Acesso em 02 de Agosto de 2018.

REED, William. Gaining Benefits From Leaf And Bean: Antioxidants In Tea And Coffee. 2010. Disponível em < https://www.nutraingredients.com/Article/2010/02/19/Gaining-benefits-from-leaf-and-bean-Antioxidants-in-tea-and-coffee>. Acesso em 04 de Agosto de 2018.

Nagilla Beatriz Freitas da Silveira

Ourinhos - SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *