Principais Aspectos Da Culinária Portuguesa

Portugal pode ter apresentado comida apimentada para a Ásia, chá para Inglaterra e tempurá para o Japão, mas a culinária do país ainda permanece um mistério para a maioria dos amantes de comida que vivem além  de suas fronteiras. Mas não apenas os (onipresentes) pastéis de nata tomaram conta a cultura mais obcecada pela comida.

As raízes da comida portuguesa residem tanto na culinária camponesa nativa quanto nos ingredientes obtidos por meio de rotas comerciais estabelecidas há muitos séculos. Pão, arroz, especiarias, pastelaria, salsichas e frutos do mar – especialmente bacalhau – continuam a ser os alimentos básicos de muitas refeições portuguesas.

Principais Aspectos Da Culinária Portuguesa.

Se você fosse a Portugal e tivesse uma tradicional vovó portuguesa como seu guia gastronômico, ela lhe daria uma variedade de pratos ricos em carnes e frutos do mar.

A comida tradicional portuguesa tende a ser saudável, que é a minha maneira educada de dizer "bastante calórica". No passado e ainda nas áreas rurais, as famílias criavam seu próprio gado e matavam animais para aproveitar ao máximo cada grama de carne. Não é de se admirar que a cozinha portuguesa tenha desenvolvido muitos “enchidos” regionais, ou seja, os que gostam de salsicha, que vêm em todas as formas e sabores, e que no final do dia, nenhuma carne será desperdiçada.

Dependendo da região do país, você encontrará pratos típicos diferentes. Bacalhau será um ingrediente básico, não importa onde você vá. Alguns dizem que há mais receitas de bacalhau em portugal do que dias em um ano!

Pão e Arroz

O pão de trigo tem sido um padrão da mesa portuguesa desde o século VIII, embora você também encontre muitas broa de milho, pão de bolota e pão de alfarroba em Lisboa. Experimente na "Padaria Gleba" a famosa broa de milho em Lisboa e na loja de produtos orgânicos "Herdade do Freixo do Meio" que fica no "Mercado da Ribeira" um excelente e tradicional pão de bolota. Portugal é também o maior consumidor de arroz da Europa. O "arroz carolino" de grão fino é o melhor para guisados de arroz como arroz de tomate e arroz doce com leite, ovos e canela.

Confeitaria

Numa época em que o mel ainda era o adoçante dominante na Europa, a corrida do açúcar de Portugal começou cedo, com açúcar caro chegando da ilha portuguesa da Madeira no século 15 e, mais tarde, do Brasil. Bolos conventuais e sobremesas – incluindo os pastéis de nata, ou torta de ovo – foram desenvolvidos por freiras com habilidade e paciência, e certamente não seriam os mesmos sem açúcar.

Para uma introdução a esta importante parte da cultura portuguesa, não há nada como visitar uma confeitaria tradicional. Experimente a antiga loja "Versailles", que serve sobremesas desde 1922 na Avenida da República. Percorra o balcão longo e peça algumas miniaturas e um bolo de tamanho normal com uma bica (um expresso). Na frente mais moderna, o Landeau in Chiado é um café especializado apenas em bolo de chocolate, tendo criado uma receita verdadeiramente maravilhosa, com três diferentes camadas e texturas.

Bacalhau

O bacalhau salgado faz parte da cultura portuguesa desde que os Vikings trouzeram o comércio de sal. Esta relação conveniente era um poderoso trunfo para os navegadores portugueses – navios armados com suprimentos de bacalhau poderiam viajar ainda mais com uma fonte de proteína que não estragasse. Desde então, os portugueses pescam – ou melhor, sobrepescam – este produto básico nacional e hoje o país é o maior consumidor mundial de bacalhau.

A culinária portuguesa honra esta tradição em centenas de receitas: grelhadas, assadas, cozidas, como parte de pratos de arroz, e fritas como bolinhos ou bolos. Experimente os bolos frescos e crocantes no "Martinho da Arcada", um dos restaurantes mais antigos de Lisboa.

Frutos do mar

O amor de Portugal pelo peixe não para no bacalhau – Portugal é um dos principais países do mundo no que diz respeito ao consumo de frutos do mar. Nada deixa o português mais feliz do que um churrasco cheio de peixe grelhado, especialmente durante as populares festas juninas dedicadas a Santo Antônio e São João que transformam Lisboa e Porto numa sardinha central, cheia de fumo, música alta, sangria, cerveja, caipirinhas e sanduíches de carne de porco conhecidos como bifanas. Apesar de já ter sido comida conhecida dos mais pobres, sardinhas agora são tão requisitadas que se tornaram caras e mais difíceis de adquirir. A sobrepesca no passado não ajudou, nem a mudança climática, que está empurrando os peixes para águas mais frias no mar do norte da Europa.

Linguiça

Salsicha é um favorito em Lisboa. Os moradores locais adoram o chouriço, uma salsicha semelhante ao chorizo da Espanha, mas com menos gordura, mas também encontra-se bastante morcela, farinheira e alheira. 

Para um visitante de primeira viagem, a melhor introdução ao cenário das famosas linguiças de Lisboa pode ser em um açougue no "Mercado da Ribeira" ou "Manteigaria Silva", uma loja de queijos e presunto que está aberta desde 1890. Quando estiver jantando fora, não tenha medo de experimentar feijoada à transmontana, cozidos à portuguesa, enchidos , ou favas com chouriço. Eles não são bonitos, mas são pra lá de deliciosos.

Especiarias

As lojas de especiarias já tomaram conta das ruas de Lisboa graças ao domínio de Portugal sobre as primeiras rotas comerciais globais. Navegantes trouxeram chá e laranjas doces da China; especiarias como noz-moscada, pimenta, cravo, cominho, cúrcuma, canela e anis estrelado de Goa, Sri Lanka e Malaca; e piri piri do Brasil. Essas lojas desapareceram há muito tempo, mas você ainda encontrará temperos no "Martim Moniz" ou mercearias tradicionais como a "Pérola do Arsenal", uma pérola em uma rua repleta de lojas de souvenirs bregas.

Vinho, Queijo e Azeite

Portugal também tem uma história de séculos de produção de azeite, vinho e queijo. O vinho mais famoso da região é o vinho do porto, feito com uvas indígenas como a Touriga Nacional no Vale do Douro, no norte de Portugal – patrimônio da UNESCO desde 2001. Outro vinho fortificado de alta qualidade é o da Madeira, batizada com o nome da ilha de Portugal, onde é produzido. Atualmente, o Vinho Verde, seco e crocante, produzido no noroeste de Portugal com uvas como o alvarinho e o loureiro, também recebem reconhecimento internacional. Infelizmente, essa atenção ainda não chegou para queijos como Azeitão e Serra, queijo gooey, queijos de leite de ovelha, muito macio – encontrados na maioria das mercearias – são feitos com um método antigo de coagulação do leite com a flor de cardo.

Como comer comida portuguesa

A cozinha portuguesa absorve todos estes ingredientes e combina-os em pratos simples. Algumas "tascas do bairro" – pequenos restaurantes acessíveis – podem servir "migas de couve" (broa de milho, repolho e chouriço) com carne de porco grelhada ou arroz de grelos ou com jaquinzinhos fritos (carapau frito). Não há nada mais simples que o sanduíche de filé com alho, ou as amêijoas à Bulhão Pato, ou um prato de caracóis (caracóis cozidos com alho e orégano) no verão.

As famílias portuguesas levam tão a sério a comida que estão dispostas a dirigir mais de cento e cinquenta quilômetros até ao restaurante que mais gostam, seja para apreciar um "leitão da Bairrada" ou robalo selvagem em sal no litoral alentejano ou sardinha assada em Setúbal. Há também uma forte chance de que a comida seja responsável por muitos dos engarrafamentos de fim de semana de Lisboa – afinal, restaurantes, mercados e pastelarias estão impulsionando o crescimento de Lisboa.

É hora de o mundo todo também aprender sobre a cozinha portuguesa – de preferência com um refrescante Vinho Verde ou um minúsculo copo de vinho do porto ou da Madeira.

Saúde!

Referências

PEDROSO, Célia.  Eat Portugal – The Essential Guide to Portuguese Food. 2017.Editora Paperbag.

SILVA, Zara. 10 Traditional Dishes A Portuguese Grandma Would Feed You. Disponível em:  <https://bkpk.me/10-traditional-dishes-a-portuguese-grandma-would-feed-you/>. Acesso em 09/09/2018.

NAYLOR, Tony. A Quick Guide To Portuguese Cuisine. 2013. Disponível em:   <https://www.theguardian.com/lifeandstyle/2013/apr/10/quick-guide-to-portuguese-cuisine> Acesso em 08/09/2018.

Nagilla Beatriz Freitas da Silveira

Ourinhos - SP

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *