Profissão Dog Walker

A profissão de Dog Walker surgiu nas grandes metrópoles dos Estados Unidos e da Europa. Na nossa vizinha Argentina é inclusive regulamentada. No Brasil a profissão está em pleno crescimento nas grandes Capitais, isso acontece devido ao aumento de cães em apartamentos e condomínios de casas. Os donos, principalmente pelo motivo da falta de tempo para passear, exercitar e interagir com seus cães diariamente, veem a necessidade de recorrer ao serviço do Dog Walker e, assim, oferecer mais qualidade de vida aos seus cães, fazendo com que estes gastem energia acumulada e se possível em locais agradáveis, onde possam interagir com o meio através de brincadeiras e interagir também com outros cães. Com os passeios regulares evitam-se possíveis problemas de saúde devido ao sedentarismo e também de comportamento, sendo os principais a destruição de objetos, agressividade e latidos frequentes que incomodam a vizinhança.

Porém, muitas perguntas ainda giram em torno dessa profissão. Como funciona? Como escolher o profissional corretamente? É realmente confiável? Quais são as vantagens de contratar um?

O que faz um Dog Walker?

Muitos se perguntam “O que seria um Dog Walker?”. A resposta é bem simples, quer ver? De todos os cães que você conhece quantos latem em exagero, latem para outros cães, choram, são obesos, são agressivos, são antissociais ou são descontrolados? Esses “desvios” e muitos outros são geralmente relacionados ao acúmulo de energia, ou seja, o cão não se exercita suficientemente bem, e esse problema atinge praticamente todos os cães, e caso sua casa não possua alguns quilômetros de terreno, independente da raça e tamanho do seu cão, o território para ele se exercitar é pequeno. Os Passeios não são apenas uma forma de consumir energia, mas também são benéficos para saúde mental do animal. O Passeador (Walker) irá ensinar o cão a controlar sua ansiedade, a não dar atenção para outros cães, a socializar etc. Dito isso, é fácil concluir que um Dog Walker Profissional necessita de uma carga de conhecimento grande, não só para compreender e corrigir os desvios comportamentais dos cães, mas também para evitar, não causar e para saber controlar situações inesperadas durante os passeios e exercícios.

O trabalho do Dog Walker, além de ajudar pessoas sem tempo a manter seus pets saudáveis – por meio de atividades físicas e atenção –, também deve atender a uma série de requisitos especiais para  exercer a função da maneira mais segura, como o conhecimento do Passeador quanto todas as raças com que passeia para que possa saber como agir em casos de emergência – evitando brigas dos cães na rua ou comportamentos inapropriados por parte do pet. Seguir atentamente às instruções dos donos de cada cão que atende, evitando todo tipo de ação indicado pelo seu contratante (como a ingestão de comidas da rua, o contato com outros animais ou o contato com muitas pessoas). Além do compromisso de recolher as necessidades do cão, caso ele as faça durante o trajeto planejado. É inaceitável o uso de qualquer tipo de violência para tentar controlar um cachorro.

O problema que se apresenta nessa área é que, como no Brasil a profissão ainda não é regulamentada, muitas pessoas que hoje atuam como Dog Walkers não possuem os requisitos mínimos e indispensáveis para oferecer serviços de qualidade, sendo cada vez mais frequentes os casos de acidentes em que cães fogem, brigam, adquirem desvios de comportamento, sofrem maus-tratos, etc. Não basta apenas gostar de cães, é necessário que se busque conhecimento na área em que se vai atuar, fazendo cursos e se atualizando, do contrário, a imagem do profissional qualificado e responsável pode ser prejudicada.

Como o cliente escolhe o profissional?

A melhor forma de escolher o passeador ideal é através de indicações. Mas, mesmo assim, é importante realizar entrevistas e pesquisar sobre a pessoa, já que ela ficará responsável pelo seu cão, amigo e companheiro, durante alguns momentos da semana.

Os principais pontos a serem valorizados são os cursos sobre animais que estão no currículo – quanto mais variados foram os temas, melhor – e a preocupação que o profissional demonstra. Ele deve correr atrás de informações sobre o temperamento do cachorro que irá levar para passear, analisar as condições físicas dele e traçar, junto com o dono, qual o melhor percurso disponível para ser feito, escolher a melhor hora do dia para isso e ainda demonstrar afeto ao bichinho.

Vantagens e desvantagens de ser um Dog Walker?

Você quer trabalhar com o que gosta e ser o seu próprio chefe? Ser um dog walker te proporciona esses privilégios. Nessa profissão você tem liberdade relativa para trabalhar, basta conciliar a sua disponibilidade de acordo com a agenda dos clientes, além de construir as suas próprias regras de trabalho.

Uma das principais vantagens de ser um dog walker é o baixo custo de investimento desta atividade. Para começar não é necessário um escritório ou estrutura diferenciada, uma vez que a rua é o seu campo de trabalho, ou seja, local em que os cães serão levados para passear. O atendimento aos clientes pode ser feito na sua própria casa, usando um número de telefone e páginas nas redes sociais para divulgar o serviço. Para trabalhar você necessitará de um bom tênis e roupas confortáveis para caminhar.

Vantagens:

  • Flexibilidade de horários;
  • Baixo custo de atividade;
  • Prestação de serviços com alta rentabilidade;
  • É possível rotacionar horários e ter uma boa base de clientes;
  • Mercado aquecido e em crescimento;
  • Permite vender produtos para cães como forma extra de ganhos;
  • Concorrência relativamente baixa;
  • Ganhos dependem do dog walker;
  • Facilidade de fidelização dos clientes;
  • Bons salários.

Desvantagens:

  • É preciso gostar de animais, principalmente cães;
  • A rotina é cansativa devido ao passeio e é preciso estar preparado, pois um dog walker pode caminhar horas e horas em um único dia;
  • Quando a crise acontece é comum alguns clientes diminuir a frequência dos passeios;
  • A chuva atrapalha o faturamento (sazonalidade);
  • Por ser uma profissão ainda um pouco “informal” é preciso organizar as cobranças, pois senão é difícil manter a regularidade.

Quanto ganha um Dog Walker

A pergunta que não quer calar: Quanto ganha um dog walker no Brasil? Isso dependerá da quantidade de clientes, valores e se integra produtos para vender em conjunto, mas em média, de R$ 2.000,00 a R$ 3.000,00 reais. Também, há casos de pessoas faturando até R$ 7.000,00 reais ao mês como dog walker, mas não é a regra!

Outro ponto importante sobre os ganhos é que não são regulares, dependem da sazonalidade, por isso não conte sempre com um valor exato e sim com uma média/estimativa. Por exemplo, se ganhou R$ 2.400,00 reais em agosto, R$ 3.000,00 setembro e R$ 1.500 em outubro, faça sua projeção de R$ 1.800 reais ao mês. Isso evita frustrações e também comprometer ganhos que, talvez não possua. Além disso, caso ganhe mais, é uma surpresa boa e pode guardar ou investir no negócio.

O tempo de passeio com os cães costuma ser de 30 minutos 2 (duas) vezes ao dia, ou seja, 1 hora no dia. Normalmente os clientes contratam 2 a 3 vezes na semana e não todos os dias. O custo pelo passeio completo (2 passeios no dia) varia entre entre R$ 20,00 e R$ 30,00 reais (normalmente). Vale lembrar que um dog walker experiente consegue passear com até 4 cachorros.

Como se tornar um Dog Walker?

A atividade de um dog walker é bem simples, mas é necessário saber como estruturar o seu negócio corretamente para prestar serviços de qualidade e torná-los altamente requisitados pelos donos dos cachorros. Conseguir a confiança dos donos dos animais pode ser uma tarefa bem complicada, principalmente porque existe um grande afeto entre dono e cão. Assim, caso ocorra qualquer imprevisto, é provável que você tenha grandes problemas de relacionamentos com o dono. Contudo, também podemos destacar que, quando o dog walker trata com carinho e cuidado os animais, rapidamente se consegue fidelizar os donos.

Faça um curso de adestramento

Um dos requisitos básicos para trabalhar como dog walker é ter conhecimentos sobre todas as raças de cães e os seus respectivos comportamentos. Para obter esta preparação o ideal é fazer um curso de adestrador de cães, que é oferecido em diferentes modalidades, desde as básicas até as mais avançadas. Um curso básico de adestramento de cães tem duração de um a dois meses, através dele é possível aprender as principais atividades a serem desenvolvidas com os animais. O valor do curso de adestrador de cachorro gira entre R$ 150,00 reais e R$ 800,00 reais, dependendo da grade curricular e da duração.

Para quem deseja poupar tempo e dinheiro, uma alternativa é fazer os cursos disponíveis na internet, que são mais baratos e funcionais para ensinar o básico aos profissionais dog walker. Contudo, é importante frisar, no curso presencial você terá um contato direto com os animais, algo mais prático, o que costuma trazer melhores resultados ao profissional de dog walker. A solução é praticar com seus próprios cachorros.

Divulgue os seus serviços

A divulgação é um dos motores fundamentais para trabalhar como dog walker, afinal de contas, se você não propagar os seus serviços como é que os clientes em potencial saberão da sua existência, não é mesmo? Neste caso, é indicado investir principalmente na internet, criando um site ou blog, especificando as suas atividades, bem como endereço, telefone e e-mail para entrar em contato. É essencial manter páginas nas redes sociais como o Facebook e Twitter para divulgar a atividade de dog walker. Esses canais têm que ser alimentados diariamente com conteúdo relevante para o público-alvo e que ressalte a importância do seu serviço, divulgando preços e horários disponíveis.

Faça um cartão de visita com um breve resumo do serviço oferecido e o telefone para entrar em contato para distribuir aos clientes e interessados. O serviço de Dog Walker tem foco local, por isso não adianta muito criar um site ou blog sobre o assunto. Caso possa investir R$ 100,00 reais ao mês, crie anúncios locais no Facebook ou instagram com filtros focados no seu público alvo, como pessoas com cachorros, interessadas em passeios para cães ou adestramento, etc.

Monte uma cartela de clientes

Para ser um bom dog walker é necessário saber administrar a atividade. Primeiramente, faça uma distribuição dos dias que trabalhará com cada cão. O ideal é alternar os passeios para que todos os animais recebam a devida atenção. Construa uma planilha com os dados dos donos e dos seus cães, bem como as datas que passeará.

Tenha cuidado com os cães

É preciso que o dog walker tenha em mente que os animais de estimação fazem parte da família dos seus donos, logo, há que se ter muito cuidado com os cães. Você precisa determinar a quantidade de animais que você pode levar para passear por vez.

Os cães pequenos dão menos trabalho, sendo possível carregar até quatro ao mesmo tempo. Já o número de cachorros de grande porte é de um a dois, pois eles exigem mais energia do profissional. O passeio do dog walker com os cachorros deve ser realizado em locais calmos e propícios para esta atividade, evitando áreas com grande movimentação de veículos e pessoas, o que pode deixar os animais estressados e dificultar o trabalho do profissional ou até mesmo colocá-los em risco.

Determine o seu valor

Quanto custa um dog walker? Esta é uma pergunta bem comum de se ver. O preço dos serviços do dog walker deve ser cobrado por cada cão do cliente, de acordo com o tipo de atividade desenvolvida e o tempo gasto. Em um passeio básico de 40 minutos a 1 hora com um de pequeno porte o profissional pode cobrar R$ 40 reais. Se você atender 4 cães ao mesmo tempo, o rendimento será de R$ 160 reais. O valor cobrado para o passeio com animais de grande porte está entre R$ 40 reais e R$ 60 reais.

Um profissional que está ingressando nesta área realiza uma média de três passeios por dia, podendo ter um rendimento financeiro diário de R$ 200 reais a R$ 300 reais. Cuidado, dias de chuva não há ganhos. Agora você deve estar se perguntando: Quanto ganha um dog walker? O salário mensal fica em torno de R$ 2.500,00 reais.

Equipamentos necessários

Um bom profissional está preparado para quaquer situação que possa acontecer no seu passeio e sempre pensa no bem estar do cão, aqui vão algumas dicas de equipamentos essencias:

  • Brinquedos diversos para interagir (bolinhas, mordedores, brinquedos de corda…);
  • Coleiras / guias de diversos modelos;
  • Escova para pentear os pelos;
  • Focinheiras de tamanhos variados;
  • Kit de primeiros socorros;
  • Lenços umidecidos;
  • Petiscos;
  • Sacos para recolher dejetos;
  • Celular com fone de ouvido (p/ emergências);
  • Vasilha para beber água;
  • Cinto de apoio ou cartucheira, para ficar com as mãos livres;

Referências

AMAR, Rodrigo. Conheça a profissão: Dog Walker (passeador de cachorros). Disponível em:<https://www.portaldodog.com.br/cachorros/exercicios-diversao/conheca-a-profissao-dog-walker-passeador-de-cachorros/>. Acessado em: Abril de 2019.

BRITO, Tereza. Conheça a profissão dog walker e saiba qual sua importância. Disponível em:<https://canaldopet.ig.com.br/curiosidades/2017-11-28/dog-walker.html/>. Acessado em: Abril de 2019.

MADI, Raquel. Dog Walker – O Acompanhante de Caminhada para Cães. Disponível em:<https://www.cachorrogato.com.br/cachorros/dog-walker-caminhada-caes/>. Acessado em: Abril de 2019.

Kitamura Prata, Aline. Passear cachorros como profissão (Dog walker). Disponível em:<https://www.peritoanimal.com.br/passear-cachorros-como-profissao-dog-walker-22475.html/>. Acessado em: Abril de 2019.

Marcelo Leandro Pereira

Joinville - SC

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *